SITE DE COMPRAS

Loading...

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Deus é fiel.



A Palavra de Deus diz que “Deus é Espírito, e importa que os que o adoram, o adorem em espírito e em verdade” (João 4. 24).

No referido texto, entendo com toda a convicção, que a expressão “e em verdade” corresponde a dizer “e com fidelidade”.

Assim, pelo menos para mim, o texto diz: “Deus é Espírito, e importa que os que o adoram, o adorem em espírito e com fidelidade”.

Diz, também, a Palavra de Deus: “Sé fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida” (Apocalipse 2.10 b).

Não quer este texto dizer que devemos ser fiéis, apenas, até o momento de nossa morte, isto é, durante toda a vida, embora devamos.

O que quer dizer o texto é que devemos ser fiéis a ponto de darmos as nossas vidas, ou seja, renunciar a tudo, e até à vida, se necessário, com o intuito de sermos fiéis a Deus, e tão somente a Ele, isto em termos espirituais.

Pois, em termos humanos, devemos ser fiéis, também, a todos: nosso cônjuge, nossos familiares, nossos amigos, etc.

Há um outro texto na Bíblia que acho importantíssimo, o qual diz: “Nisto conhecemos o amor, em que Cristo deu a sua vida por nós, e devemos dar a nossa vida pelos irmãos” (I João 3. 16).

Este versículo vem coroar o meu entendimento de que devemos dar a nossa vida pelo nosso próximo, e muito mais por Deus, em uma fidelidade integral.

É, em síntese, o ser fiel até à morte.

Um versículo que me acompanha, desde a adolescência, diz o seguinte:

“Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e Ele tudo fará” (Salmo 37. 5).

Não fica aqui, neste texto, qualquer dúvida quanto a entregar tudo, inclusive a vida, se necessário for, confiar em Deus acima de tudo, e Ele manterá, como não conseguimos muitas vezes manter, a sua fidelidade, ou seja, “Ele tudo fará”.

SÊ FIEL não é uma expressão banal, não é sequer uma expressão mística.

SÊ FIEL, também, não é uma expressão de marketing, bem como não é uma “bandeira”, um “slogan”.

SÊ FIEL é um imperativo de Jesus para os seus seguidores.

Quem segue a Jesus tem que ser fiel aos seus ensinamentos, isso caso aspire à salvação, eis que Ele se tornou Salvador dos que o obedecem. (Hebreus 5. 9 b).

Ser fiel é, portanto, segui-lo, obedecê-lo em quaisquer situações, ambientes, momentos, sejam felizes ou não.

Ser fiel não é falar o “evangeliquês”, uma a duas horas por semana na igreja, não é ter cara de santo, de puro apenas diante dos irmãos na fé.

Ser fiel é um procedimento, um procedimento constante, ininterrupto.

Ser fiel é um princípio de vida, uma atitude imutável, embora haja situações que “sugiram” a infidelidade, a mudança de cara, a colocação de máscara.

O verdadeiro cristão não usa máscara, não muda de cara; é fiel porque Deus é Fiel, e requer de nós fidelidade.

“Assim, pois, importa que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus. Ora, além disso, o que se requer dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado fiel” (I Coríntios 4. 1-2).

Explicada está a motivação dessa página na Internet.

Quero ser fiel a Deus, e cumprir aquilo para o qual fui chamado, proclamar a minha fé, propagar a sua Palavra.

Este texto, até aqui, foi originalmente escrito, em Janeiro de 2004, para o “site” SÊ FIEL, que estava em formação.

Optei, no ano passado, por não viabilizar o “site”.

Agora, necessário se faz atualizar estas palavras iniciais com mais algumas considerações.

O “blog” “SÊ FIEL”, como seria o “site”, é um ministério que abracei, em obediência às últimas palavras de Jesus, antes de sua ascensão, as quais nos exortam a “ensinar” (Mateus 28. 19), “pregar” (Marcos 16. 15), e “testemunhar” (Atos 1.8).

Ensinar, pregar e testemunhar a Palavra de Deus “a tempo e fora de tempo” (*), quer seja oportuno, quer não seja”(**) (II Timóteo 4. 2) é a missão a que me proponho.

Para que o mundo saiba, proclamarei sempre, como sempre fiz, que Deus é Fiel, e quer que sejamos encontrados fiéis.

Este é um “blog” da Mídia Cristã Evangélica, que tem como finalidade evangelizar os não cristãos [e edificar a Igreja], sem cor denominacional.

Mas a fidelidade de Deus para com Israel será, também, um dos temas, face ao cumprimento passado, presente e futuro de profecias bíbicas a respeito desse povo.

Vou falar, testemunhar a respeito de Jesus, a respeito da Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada.

Não vou discutir religiões: Cristianismo, Judaísmo, Animismo, Budismo, Confucionismo, Hinduísmo, Islamismo, Jainismo, Sikhísmo, Taoísmo, Xintoísmo, Zoroastrismo, etc.

Quando, acima, me referi a religiões, não citei catolicismo, protestantismo histórico, pentecostalismo, neo-pentecostalismo, pois não são religiões, são ramos, segmentos, denominações de uma mesma religião, a Cristã.

Religiões que não a Cristã, quando mencionadas, em alguma matéria, o serão pela sua presença em fatos/notícias que envolvam os cristãos, o cristianismo, a Bíblia.

O “plano de fundo” do “Blog”, como não podia deixar de ser, apresenta como fundo musical um tradicional hino evangélico:
“Tu és Fiel, Senhor”. (Letra de Thomas O. Chrisholm e música de William M. Runyan - em 1923)

Deixamos de apresentar este fundo musical, tendo em vista que, em 13.07.2009, entramos numa fase mais avançada exibindo vídeos, e a manutenção do hino prejudica ouvir os vídeos.

A Internet, tão explorada em termos de banalidades, futilidades, piadinhas, pornografia e obscenidades, que em nada contribuem para a edificação de vidas, precisa ser melhor e mais utilizada para a divulgação da Palavra de Deus.

E tudo deve ser feito como nos ensina o Apóstolo Paulo:

“Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra cousa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (I Coríntios 10. 31).

Não há, eu sempre disse, “coincidências” para Deus, e alguns que estão lendo este texto são antigas testemunhas dessa minha opinião.

Deus fala, Deus opera, Deus atua, Deus age no momento certo.

Foi assim, novamente nesta data, em que estou atualizando este texto, para a página inicial deste “Blog”, que uma das minhas leituras devocionais diárias, no devocionário Refeições diárias com os profetas menores, de autoria do Rev. Elben M. Lenz César, Editora Ultimato, veio ao encontro do que eu escrevi acima, motivo pelo qual transcrevo-a abaixo:

“De pai para filho

´Contem aos seus filhos o que aconteceu, e eles aos seus netos´ (Joel 1. 3)

Há uma história para contar. A história de Deus. A história da santidade de Deus. A história da severidade de Deus. A história da misericórdia de Deus. A história do mover de Deus.

A história do homem pecador, do homem perdoado, do homem que volta ao pecado, do homem que torna a ser perdoado.

Essa história não pode ficar parada, guardada, arquivada, mofada.

Tem de sair dos arquivos e das estantes: “Contem aos seus filhos o que aconteceu, e eles aos seus netos, e os seus netos, à geração seguinte”.

O verbo contar aqui tem a mesma conotação e importância do verbo “pregar” usado por Jesus na grande Comissão:

“Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as
pessoas” (Marcos 16. 15).

Não foi à toa que o Senhor segredou a Paulo certa noite em Corinto: “Não tenha medo, continue falando e não fique calado” (Atos 18.9).

A história contada de geração em geração é tão importante que Jesus declarou: “Se eles se calarem, as pedras clamarão”
(Lucas 19. 40)”.


Postado por: Edmar Torres Alves

Nenhum comentário:

Postar um comentário