SITE DE COMPRAS

Loading...

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

O INFINITO AMOR DE DEUS.



Sendo nós ainda pecadores, Deus prova o seu amor por nós, Jesus Cristo, a maior expressão do amor de Deus pela humanidade, porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3.16). Portanto, aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor, e o seu amor é à base da aliança, o fundamento da sua fidelidade e a razão da eleição do seu povo.
Tentamos buscar nos dicionários bíblicos algum significado para expressar com palavras, o amor, mas verdadeiramente o amor é inexprimível, não há palavras compatíveis para designar a profundidade e grandeza do mais sublime dos sentimentos, o amor. Mas Deus, na sua infinita sabedoria e misericórdia, nos deixou o maior exemplo do seu imensurável amor, oferecendo o seu próprio filho em sacrifício e oferta viva no altar para resgatar o homem da maldição do pecado e da morte.   
E para expressar o extraordinário amor de Deus, buscamos na sua palavra algumas referências bíblicas para meditação e conforto espiritual.   
Jesus Cristo é a maior expressão e prova do amor de Deus pela humanidade, porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3.16). Portanto, aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor, e o seu amor é à base da aliança, o fundamento da sua fidelidade e a razão da eleição do seu povo.  
            E no capítulo 2, versículo 9 da primeira carta universal do Apóstolo Pedro, o Senhor declara o seu amor de uma forma especial, por aqueles que o amam e buscam fazer a sua vontade, observem: Vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.
O amor de Deus está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado, é a mais alta qualidade da vida cristã, norteando todas as relações de amor a Deus e ao próximo (Mateus 22.37 a 39). Esse amor é dotado de compromisso com Altíssimo e confiança absoluta nele, diluindo amor aos inimigos e renúncia em favor dos necessitados. O amor é o sentimento de apreciação ao próximo, acompanhado do desejo de lhe fazer a caridade.
Na carta aos Romanos 5.6-8, a palavra revela e exemplifica a essência do verdadeiro amor; o amor do Senhor Deus pelo homem, ainda que este se encontrava morto no pecado pela queda no Paraíso do Éden. Afirma o Senhor que por algum bom, por algum justo, pode ser que alguém ouse a morrer, Mas Deus prova o seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.
No livro de Isaias 49.14, assim disse o Senhor Deus: Pode uma mulher esquecer-se do seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas, ainda que esta se esquecesse, eu, todavia, não me esquecerei de ti.
O Senhor toma como fundamento o amor materno, que sem dúvida é o mais profundo amor entre os seres humanos para exemplificar a grandeza do seu amor pelo homem, ainda assim, não há parâmetro para se comparar a dimensão do seu amor que é ilimitado e interminável.  Ele nos dá a certeza e segurança, ainda que, esse amor materno vier a falir, Ele, no entanto, não nos deixará desamparados. Porque Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.
E no capítulo 113 do livro dos Salmos, a sua palavra é fascinante com tamanha demonstração de amor apontado para os mais humildes dos homens, o qual expressa: Quem é como o Senhor, nosso Deus, que habita nas alturas; que do pó levanta o pequeno e, do monturo, ergue o necessitado, para fazê-lo assentar com os príncipes do seu povo; e faz com que a mulher estéril habite em família e seja alegre mãe de filhos? Louvai ao Senhor.
Esse é o Deus vivo a quem servimos, confiamos e nos entregamos inteiramente. A sua palavra é fiel e verdadeira, e digna de toda aceitação, porque se Deus é por nós, quem será contra nós?
Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? 
Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor (Carta aos Romanos 8.35-39).
Portanto amados, não deixe que o seu amor por Deus se enfraqueça, porque o amor de Deus dura para sempre, e aquele que ama a Deus, não anda na prática do pecado, porem, qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado. 
Este é o amor de Deus: Que guardemos os seus mandamentos; porque os seus mandamentos não são pesados. Porque Deus é bom, par com os limpos de coração.
A palavra de Deus relata que as suas misericórdias são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade (Lamentações de Jeremias 3,22, 23).   
E na primeira carta de Pedro 4.20, a palavra do Senhor nos alerta para que a nossa fé não seja vã, e descreve: Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. 
Deus é tardio para irar e a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida; o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã (Salmos 30.5).
 
 
Texto extraido do portal evangelico,"cristo é a saída".


Nenhum comentário:

Postar um comentário